06201604_ssd

Resolvemos as dúvidas sobre a vida útil dos SSD.

Apesar do auge dos SSD, ainda existem diversas informações duvidosas em relação à sua vida útil, que podem gerar muitas incertezas no momento de tomar a decisão da sua compra.

Porque existem estas dúvidas? A explicação é relativamente fácil, ao contrário da sua interpretação. Por um lado, uma unidade de armazenamento em estado sólido (SSD) é mais resistente a falhas que um disco rígido tradicional (HHD), como já vimos neste post. Porém, os primeiros têm um tempo de vida útil pré-estabelecido pelo fabricante, e para fazê-lo ainda pior, os SSD da primeira geração ofereciam uma vida útil inferior à que os fabricantes estabeleciam.

Embora a priori, isto é um problema importante, soa pior do que realmente significa, já que um disco SSD atual tem uma vida útil de, aproximadamente, 10 anos.

Como podemos saber com a máxima exatidão possível da vida útil do SSD? Atualmente, existem muitas ferramentas para diagnosticar e conhecer exatamente a vida útil que o disco rígido SSD dispõe. Entre as ferramentas mais utilizadas, a mais popular é SSDReady, pela sua simplicidade e clareza no momento de realizar a análise e mostra de resultados.

Como se mede exatamente a vida útil de um SSD? A medição faz-se segundo a quantidade de operações de escrita e leitura dos dados que é capaz de efetuar, sendo as operações de escrita as que mais afetam, de maneira que estas incidem diretamente na vida útil do nosso disco.

SSDReady é gratuito e pode ser descarregado através da sua página web oficial. Uma vez feita a análise, teremos os seguintes resultados: o número de operações de escrita realizadas, a média de escrita dos dados no dia e o tempo de vida útil restante.

Se quer ver toda a oferta de SSD que temos na GTI visite o nosso site.

 

#SSD

Fonte – GTI – Ibon Martínez