seguridad-informatica

70% das empresas admitem que apenas monitoriza a sua rede para detectar possíveis vulnerabilidades uma vez por mês

O desenvolvimento imparável que a rede tem vindo a conhecer vem acompanhado por uma evolução nas ameaças a que os sistemas de segurança das empresas são expostos. Os novos elementos que integram a infra-estrutura das empresas exigem uma transformação e adoptar novas ferramentas de segurança. Já não só se protegem computadores num sítio concreto, mas também unidades móveis, máquinas virtuais e aplicações na nuvem.

Sofrer lacunas na segurança é algo com que as organizações de qualquer tamanho ou indústria devem lidar frequentemente. Segundo um estudo encomendado pela Tenable Network Security  à Forrester Consulting sobre o estado actual e eficiência na gestão da vulnerabilidade, em 2013 foi informado um total de 1.460 violações na segurança.

As empresas devem antecipar-se e prever problemas potenciais para evitar que a sua segurança seja vulnerada. Para prevenir, é preciso identificar as possíveis vulnerabilidades e riscos, o que exige uma rápida detecção e uma imediata reacção para repelir qualquer ataque. Combater vulnerabilidades e ameaças é o objectivo primordial para garantir TI seguras, e isso passa por implementar novas tecnologias de segurança.

Mas nem sempre se actua com a eficácia e prevenção adequadas. Segundo o mesmo relatório da Forrester Consulting para a Tenable, 70% das empresas estudadas admitem que a frequência com que monitoriza a sua rede para detectar possíveis vulnerabilidades é de uma vez por mês ou até menos. 18% das empresas entrevistadas afirmam fazê-lo uma vez por semana, enquanto 8% fazem-no uma vez por dia. Apenas 3% das organizações submetidas a este estudo apostam em reforçar mais a sua segurança, optando por monitorizar a rede mais do que uma vez por dia para combater as possíveis vulnerabilidades em que podem incorrer.

E deve-se ter em conta que, quanto menor for a vigilância na segurança, maior facilidade terá quem pretender abrir um buraco no sistema. Uma monitorização contínua é a solução para que a sua rede deixe de ser vulnerável.

Os sistemas tradicionais de gestão de vulnerabilidades baseados num sistema de monitorização periódica da rede não dão resposta aos novos desafios colocados pelas grandes empresas que integram uma infra-estrutura tecnológica mais vasta, e que têm a mobilidade e as aplicações na nuvem como ferramentas fundamentais no seu funcionamento.

Nestes casos, a gestão da vulnerabilidade deve ser uma parte estratégica no seu sistema de segurança, o que requer dar um salto para a frente e implementar ferramentas que contribuam para uma gestão mais eficiente.

O estudo elaborado para a Tenable Network Society, que avalia a adopção e benefícios da implementação de uma monitorização contínua (CM) revela que as organizações que optaram por este sistema de segurança se mostram mais do dobro de satisfeitas com a gestão de vulnerabilidades do que aquelas que usam um sistema baseado numa monitorização periódica.

Caso deseje conhecer as soluções deste fabricante mais a fundo, entre em contacto connosco:

#tenable #segurança
Assinatura: GTI -José Alberto López