201603_licencias-MS

Explicamos as diferentes modalidades para comprar e vender software da Microsoft.

No nosso post anterior já descodificamos algumas formas de adquirir software da Microsoft para equipamentos individuais: Caixa Retail, OEM, GGWA, GGK, ESD e PKC. Hoje veremos as licenças de volume, para pelo menos 5 equipamentos, que são modalidades distintas que há de OPEN e também as licenças em nuvem: SPLA e CSP

Licenças de volume básicas: OPEN LICENSE

O modo mais básico de licenciamento por volume é OPEN LICENSE. São licenciadas para 5 equipamentos ou mais e duram dois anos. Têm que estar nominadas e faturam num único pagamento, quando se adquire a licença. Apesar do mínimo de 5 unidades, é possível acrescentar licenças adicionais durante toda a duração do contrato.

Nas Licenças OPEN é importante saber em que categoria está o seu cliente, dentro destas três categorias: Comercial, Académico ou Governo, já que o preço varia em função deste critério. Também permite acrescentar o serviço de Software Assurance, o SA. Este serviço, que dura dois anos de contrato, oferece a atualização gratuita das versões conforme vão aparecendo. Pode ser acrescentada ao contrato a Licença OPEN, contudo há modalidades, que veremos o que incluem.

Licenças de volume OPEN

OPEN VALUE: São Licenças OPEN que incluem SA e são válidas para 3 anos, para um mínimo de 5 equipamentos. No caso das licenças de 3 anos, o pagamento pode fracionar-se anualmente, mas o preço é assegurado durante todo o período de tempo. É importante assinalar, por um lado, que estas licenças são válidas somente para os clientes do tipo Comercial e Governo, e por outro que, para contratar esta modalidade, todos os equipamentos da empresa têm que ter pelo menos um produto Office, Corecal ou Windows.

OPEN VALUE SUBSCRIPTION: São licenças iguais às anteriores, com a única diferença de que se trata de um contrato de aluguer. Neste caso, pode-se fazer um contrato de 1 ou 3 anos, com pagamentos anuais. A principal vantagem é que tem um custo inicial mais baixo, e que se pode aumentar ou reduzir o número de equipamentos durante a duração do contrato. Também incluí SA e é válido para qualquer cliente, mesmo os clientes do tipo comercial, têm que fazer contrato obrigatório por 3 anos.

Nesta tabela é possível ver melhor as diferenças entre estes três tipos de licenças OPEN.

Licenças de pagamento mensal

As licenças SPLA permitem desfrutar do software da Microsoft na modalidade “pagamento por uso”. Isto significa que há um contrato pré-estabelecido, mas mensalmente é relatado à Microsoft o que consumidor utilizou e apenas se paga pelo que foi gasto. Para isto sim, há a obrigação de fazer um relato mensal, embora não se gaste nada, mas na GTI pode fazê-lo comodamente a partir do nosso site, pelo que isso não é nenhum impedimento.

Se pretende conhecer mais detalhes deste tipo de licenças, recomendamos a leitura de Tudo o que você precisa saber sobre Microsoft SPLA e O QUE É O MICROSOFT SPLA?

Finalmente, a modalidade mais recente e a grande aposta da Microsoft pela nuvem, são as Licenças CSP, que permitem licenciar mensalmente soluções Cloud. Como é um formato muito recente, em que surgem dúvidas frequentes e também oferecem muitas vantagens de cross-selling e de valor acrescentado, recentemente publicamos um post sobre as soluções Cloud, onde explicamos com mais profundidade esta temática.

Espero que com esta explicação, fiquem mais claras as distintas opções de licenciamento da Microsoft. Pode sempre contactar o seu comercial para aconselhamento sobre os casos concretos, ou todos os produtos da Microsoft, tanto físicos, como ESD e licenças, que temos no nosso site.

 

 

#CSP, #Cloud, #Microsoft

Fonte: GTI – Gema Paredes